segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Que folga!

Coluna de Augusto Mafuz de hoje na Tribuna do Paraná:
Volta

O gramado do Maracanã é naturalmente, largo e grande. Mas fica maior ainda, quando um time de pouca qualidade individual vai jogar carregado de erros técnicos.

O gramado do Maracanã foi um deserto para o Atlético, sem nenhuma ilusão de se encontrar um ponto de chegada: com Ramon sem condições física e técnica para exercer a função de mando no meio, pois não combate, não marca e erra todos os passes, com Claiton imobilizado atrás pelo próprio esquema, o time rubro-negro voltou a ser um time frágil. Daí, Fluminense, 2 a 0.

Não há que se considerar que o Fluminense jogou pouco. É que qualquer análise do jogo é esgotada no próprio Atlético: simplesmente, não jogou nada.

E seu equívoco foi praticado por seu Ney Franco à partir da insistência em manter Ramon. Já tinha sido assim em Goiânia. Mas visto antes, foi atacado no intervalo. Ontem Ramon ficou em campo 60 minutos sem correr marcar ou acertar passes. Essa falha criou uma espiral que repercutiu em todos os setores do time, impedindo a função de Claiton, e obrigando Antônio Carlos a avançar.

O futebol de hoje não pode prescindir de nenhum jogador nas funções de combate e de marcação. A briga no campo há tempo deixou de ser só pela bola. É, em especial, pelo espaço.

O Atlético deu uma folga que nem mesmo o Fluminense esperava. Arouca e Tiago Neves jogando livres foram empurrando a bola por baixo e por cima para Somália, que se divertiu com Danilo. Gustavo é melhor que Danilo.

Nenhum comentário: