quinta-feira, 30 de agosto de 2007

É preciso ir além da lógica

Coluna de Augusto Mafuz, hoje, na Tribuna:

Lógica
Por mais que o conceito de lógica seja estudado e interpretado, ainda é o de Aristóteles, seu criador, o mais acessível: é juízo e raciocínio.
Hoje, somos reféns da lógica. Para tudo, e em toda a sua extensão, a provocamos. A ela recorremos, às vezes, mesmo sem ter uma noção exata do seu alcance, para explicar e projetar alguma coisa.
No futebol, a lógica só não é mais usada do que a paixão. Ao contrário, às vezes é a própria paixão, pois através do seu uso, mesmo que equivocada, é que o torcedor consegue criar a ilusão de que um fato, seja positivo ou não, vai ocorrer.
Pegue-se a lógica dos números e a use para criar a perspectiva do Atlético neste campeonato. Vai se ter uma única conclusão: o rebaixamento só será evitado se for contrariada a lógica de que no futebol, sendo onze de cada lado, ganha o melhor.
O Atlético, a partir de hoje, joga sob duas condições: a primeira, a de ganhar o jogo que, em tese, teria obrigação de ganhar. A obrigação, agora, independente do adversário ser melhor ou não, deixou de ser uma tese. Todos os jogos da Arena, por exemplo.
Mas não basta. É preciso ir além da normalidade e ganhar pontos especiais fora da Arena. Como no jogo com o Santos, hoje à noite na Vila Belmiro. A derrota seria absolutamente natural, mas deixará de sê-lo em razão da barrafunda em que a administração Petraglia o atirou neste campeonato.

Nenhum comentário: