quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Quem planta, colhe

"Eu treino bastante. Treino uma média de 50 faltas a cada dois dias. Só com o treinamento mesmo que você pode aprimorar isso. E na hora do jogo pode ter a tranqüilidade para fazer o gol"

Ramon, meia do Atlético, em entrevista ao site oficial do CAP.

Achei engraçada esta declaração do Ramon. Quantas cobrança de falta será que os demais jogadores do Atlético treinam por dia? Ou por semana? Quiçá por mês? Não sei, mas não podem ser muitas... E não só os do Atlético.

Fosse eu um jogador de futebol e disso me sustentasse, e gostasse de fazer isso, fosse eu, estaria cobrando umas 200 faltas por dia para treinar. Porque se em qualquer pelada não há nada mais tesão do que marcar um golaço de falta, imagine numa partida profissional. E, mesmo aqueles que não são assim tão íntimos da bola, como eu, sabem que o treinamento à exaustão pode aperfeiçoar o fundamento de tal forma que o aproveitamento seja no mínimo satisfatório.

Sem falar que um jogador que é conhecido por marcar gols de falta é muito mais valorizado - e chega a ser disputado pelos clubes.

Não dá mesmo para entender a cabeça dos boleiros.

Nenhum comentário: