quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Esforço pela Copa

Coluna publicada por Domingos Moro, em seu blog:

O esforço atleticano

Nas duas últimas Colunas tratei dos bastidores da Copa de 2014 em Curitiba, sob o ponto de vista do necessário e imperioso apoio governamental nas esferas estadual e municipal. Continuo no tema, mas noutro viés que me parece o mais importante no momento. É notável o esforço atleticano para que nossa cidade possa assistir jogos do mundial. No sábado foi um verdadeiro “banho” no Rio de Janeiro. Os projetos de conclusão da Arena, a maquete apresentada e a fantástica infra-estrutura do Centro de Treinamentos do Cajú surpreenderam os integrantes do Comitê de Inspeção da FIFA e causaram a melhor das impressões. Foi uníssona a excelente repercussão.

Ao largo das “vistas grossas” de algumas pseudo-autoridades de nossa província, que por ligações com outras instituições desportivas se abstiveram de presença e empenho, o CAP arregaçou as mangas e partiu para o ataque em prol da confirmação da candidatura curitibana. Teve alguns apoios, é bem verdade, mas precisou caçá-los a laço, superintendendo quase a totalidade do processo de apresentação.
O show da “mostragem” de Curitiba foi enorme, mas poderia ter sido consagrador se todos estivessem realmente unidos e dispostos a colaborar. Testemunhei a maneira que fizemo-nos representar na reunião inicial e preparatória acontecida na manhã de 17 de agosto, quando o amadorismo e a falta de interesse reduziram nossas chances. Naquele momento deveríamos lutar por sermos uma das cidades brasileiras visitadas e, lamentavelmente, fomos incluídos no grupo das simples exposições.
Enganam-se os que pensam que a Copa tem cores clubísticas e que beneficiará um ou outro agente. A Copa de 2014 será boa para todas as agremiações de nosso estado, para o nosso futebol e para a nossa boa gente. O CAP concluirá a Arena independentemente da Copa e quem terá a ganhar seremos todos nós e ninguém em especial.
Bairrismos e preferências pessoais não podem interferir no processo da candidatura de Curitiba. O futuro não perdoará àqueles que estão se omitindo e criando dificuldades para o sucesso de uma empreitada que deveria ser de todos e não de alguns. Só espero que depois não venham, caso confirmada a sub-sede curitibana, a se denominar “Pais da criança”, embarcando na nau que pretenderam deixar a deriva.
O Estado do Paraná e a Cidade de Curitiba, os paranaenses e os curitibanos precisam estar unidos no sentido da confirmação de nossa candidatura. A imprensa esportiva está fazendo a sua parte, alertando, divulgando e cobrindo tudo que cerca o momento atual de definição. Mas ainda é pouco e mais precisa ser feito.
Se não fosse o esforço atleticano (e de alguns poucos mais) já não teríamos mais chance alguma. É como se fosse o “canto do cisne”, numa candidatura que percorreu projetos irreais e megalômanos totalmente desprovidos de crédito e de exeqüibilidade.
O futebol carioca não é forte pelas rivalidades que apresenta e sim pela união que demonstra em relação a temas de interesses comuns. Adversários se restringem ao campo do jogo e não ao território e aos ideais comunitários. Depreciar o jardim do vizinho não torna o nosso jardim mais atrativo. O bonito jardim do vizinho ajuda a tornar a nossa rua mais atraente, é assim que devemos pensar e agir.
***
Moro, advogado, atualmente defende as causas de clubes paranaenses junto ao STJD. Gosta de escrever, de participar, de opinar. E demonstra uma coerência, em suas explanações, rara de se ver por estas bandas, onde impera um clubismo doentio que resulta em prejudicar o outro primeiro para somente depois pensar no próprio crescimento. Moro é coxa-branca, já foi diretor dos coxas, saiu de lá chamuscado devido à campanha que levou o clube para a segundona mas depois deu a volta por cima, voltando a ser respeitado pela torcida. E tem mostrado claramente que tem uma visão ampla sobre o futebol paranaense, e que pensa no bem-comum e não apenas neste ou naquele clube. Me parece ser o nome ideal para assumir a presidência da Federação Paranaense de Futebol no ano que vem, quando haverá eleição. Infinitamente melhor do que alguns "bobões" que têm se apresentado com candidatos. Entre eles, um presidente de clube que ainda se inspira em Marx e Lênin.
A candidatura de Moro deveria, hoje, ser uma bandeira de todos no futebol paranaense.

Nenhum comentário: