segunda-feira, 27 de agosto de 2007

"Escolinha", um convite à impunidade

Questionado pelo site Globoesporte.com sobre o que fazer com árbitros que cometem erros grosseiros durante as partidas, o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa , responde: "Todos os árbitros que tiverem atuações desastrosas voltarão para a escolinha. Eles terão aulas com orientadores regionais e deverão passar por testes físicos e teóricos. Em seguida, trabalharão em divisões inferiores por ficarem automaticamente afastados, pelo menos, da rodada subsequente."
Pois vos digo, punição ridícula esta, que não coíbe juiz de futebol algum a meter a mão num time de futebol, que fomenta a impunidade e que transforma jogadores, dirigentes e torcedores em patetas que, com as mãos amarradas, nada podem fazer.
De que adianta afastar um árbitro péssimo como este que roubou o Atlético descaradamente no sábado, por duas ou três rodadas? O que ele vai aprender nesse período? O que esta punição vai afetarem sua carreira? Imaginem se, porventura, o Atlético não mais reage e cai para a segundona (que Deus nos livre)... O Luiz Antonio Silva Santos, que mal sabe escrever, continuará lá, apitando jogos da elite, metendo a mão nos times que bem entender, rindo da cara dos otários aqui.
E Corrêa ainda complementou: "Nem com árbitro marciano eu vou conseguir acabar com os erros no futebol. O problema não é o estado onde o juiz é federado. Mas é a preparação que deve melhorar." Uma balela atrás da outra. Não precisa trazer ETs para apitar os jogos. Basta ampliar o quadro de juízes com gente séria e competente, e punir de verdade os erros grotescos.
Ou então, que o sr. Corrêa passe o resto de seu mandato dando estas justificativas furadas, rodada após rodada.

Um comentário:

Marcelo Camacho disse...

Perfeito o comentário. Essa escolinha é uma palhaçada. O árbitro deveria ser suspenso, assim como são os clubes, os jogadores.