segunda-feira, 30 de julho de 2007

Vergonha e revolta


Tcheco e Gavilán. Cidadãos como estes não podem nunca mais ser chamados de atletas. O que aconteceu sábado no estádio Olímpico foi um episódio negro para o futebol brasileiro. E a punição a estes dois precisa ser exemplar.
Vão argumentar os gremistas que Tcheco "não teve intenção" de causar tamanho dano ao Alex Mineiro. Balela. O gremista, como sempre, entrou na dividida com a sola da chuteira levantada, mesmo tendo noção de que não chegaria na bola. Em qualquer parte do corpo de Alex que ele acertasse, iria machucá-lo gravemente. Acertou a cabeça. Quebrou o nariz e o maxilar do artilheiro rubro-negro.

Minutos depois, Gavilán acertou uma cotovelada na boca do meia Evandro, que teve um dente arrancado e outros três quebrados, além do corte no lábio. Será inacreditável se estes dois não forem punidos severamente. A punição mínima que se espera é que fiquem afastados dos gramados pelo mesmo tempo do que os atletas que agrediram. Mas deveriam mesmo era serem banidos do futebol.
Não bastasse a atitude antidesportiva destes dois falsos atletas, a participação nefasta do árbitro da partida, Paulo Henrique de Godoy Bezerra foi ainda mais revoltante. Sequer marcou falta em nenhum dos dois lances. Deve ser igualmente punido e banido do futebol.
A torcida atleticana já começa a se mobilizar para protestar contra a vergonha que ocorreu no estádio Olímpico e para que este lamentável episódio não termine em pizza.
Estamos todos envergonhados pelo que estes gremistas fizeram, e revoltados por terem disputado a partida até o seu final sem ao menos terem sido advertidos pelo árbitro. Revolta que pode aumentar ainda mais se não forem punidos pelos tribunais.

Nenhum comentário: